sexta-feira, 27 de maio de 2016

Encontro de Juventudes da Zona Oeste



O Encontro de Juventudes da Zona Oeste é uma iniciativa organizada pela Rede da Universidade Comunitária da Zona Oeste, coordenada pelo Instituto Rio e parceiros - Casa Fluminense, Farmanguinhos, UNISUAM e Fio Cruz Mata Atlântica. O Encontro ocorreu no sábado 14 de maio na localidade de Campo Grande. Os jovens e as jovens fizeram a mobilização e divulgação do Encontro, que reuniu cerca de 150 pessoas.

Na ocasião foram discutidas questões essenciais para a juventude da região, desenhando estratégias conjuntas para a construção de uma agenda pública, com perspectiva de integrar o planejamento Rio500 – o futuro da cidade para os próximos 50 anos. O evento vem sendo planejado desde o ano de 2015 de forma conjunta entre jovens, lideranças, organizações e grupos que integram a Rede da Universidade Comunitária da Zona Oeste.

Abrindo o Encontro de Juventudes da Zona Oeste, a diretora executiva do Instituto Rio, Graciela Hopstein, fala sobre a importância do Encontro e da Universidade Comunitária da Zona Oeste no atual cenário da cidade.

"O Encontro de Juventudes da Zona Oeste é resultado de um trabalho que teve início em 2014, quando começamos a ideia da Universidade Comunitária da Zona Oeste. Nosso conceito de Universidade não é um espaço acadêmico e excludente, mas uma ideia de universalização colaborativa do saber. No atual cenário político e social é urgente que tenhamos espaços democráticos e representativos, onde os jovens e a população como um todo possam discutir seus direitos e exercer sua cidadania."


O Encontro foi permeado por apresentações culturais, de dança, filme, poesia e também houve espaço de microfone aberto para que os jovens pudessem se expressar.


Em seguida pela manhã aconteceram os GT’s: Educação, trabalho e renda; Direito e acesso à cidade; Gênero e Raça; Segurança e bullying. Os grupos foram formados pel@s próprios jovens que colocaram suas pautas principais e anseios em discussão. Os jovens relatores sistematizaram as principais propostas e contribuições do debate e apresentaram os resultados na plenária final.


Em seguida, os especialistas na área de juventude que contribuíram com o debate das propostas apresentadas e as discussões promovidas pelos/pelas jovens nos diversos grupos de trabalho (realizados na primeira parte do Encontro) tecendo comentários e provocando reflexões sobre os temas que serão apresentados em uma plenária final.

Marcelle Decothe é da Anistia Internacional e debatedora convidada do Encontro de Juventudes da Zona Oeste. Ela reforça que atualmente vivemos no contexto de Cidade Olímpica, mas é importante questionar para quem é feita essa cidade. Ao mesmo tempo, ressaltou a importância do jovem de assumir a responsabilidade de agir como um transformador da realidade do seu próprio território.

Marina Ribeiro (IFHEP e IBASE) ressaltou que a desigualdade social é uma forma de dar continuidade ao racismo institucional no brasil, onde o não-direito à cidade, causado pelas longas distâncias e pelo transporte precário aliado à falta de oportunidades, mostram à população negra qual é o seu lugar na sociedade. Este é um problema enfrentado pelos jovens da Zona Oeste, assim como de outras regiões periféricas do Rio de Janeiro.

O debatedor convidado Ricardo Henriques reforça que o Encontro de Juventudes da Zona Oeste é um evento de potência política e ressalta a importância de que haja esforço um contínuo de agora em diante para que as agendas não percam a força e que os jovens possam protagonizar a militância pelos seus direitos.


Em um próximo encontro, marcado para o dia 14/06, será produzido um documento coletivamente pelas organizações que compõem a Rede da Universidade Comunitária da Zona Oeste, a Carta de Campo Grande, com os temas discutidos, as propostas e os desdobramentos do evento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário