segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Coletivo Mulheres de Pedra: um resgate da identidade da mulher negra

No dia 20 de novembro comemora-se o Dia da Consciência Negra, uma homenagem a Zumbi dos Palmares, referência da luta de resistência dos escravos. É também uma comemoração da herança que a cultura negra deixou no Brasil e um apelo para que a igualdade e a justiça racial sejam uma realidade no país e no mundo.


O Coletivo Mulheres de Pedra, apoiado pelo Instituto Rio em 2015 e vencedor do primeiro lugar do prêmio GJP, tem o objetivo de fortalecer e empoderar as mulheres negras  e resgatar a cultura negra brasileira através de projetos socioculturais e educativos. “O recurso veio numa hora boa para Mulheres de Pedra, uma vez que estamos montando o segundo Coletivo de Mulheres e esse aporte veio a fortalecer a nossa iniciativa.”, conta Leila de Souza Netto, coordenadora do Coletivo Mulheres de Pedra.

Para Leila, a proposta da Universidade Comunitária é muito interessante para enriquecer os projetos separadamente, uma vez que é um ambiente de troca de experiências de projetos sociais da Zona Oeste. “Nós podemos trazer nossa experiência de 15 anos trabalhando na Zona Oeste com projetos realizados por mulheres e para fortalecer a identidade da mulher negra brasileira, e contar todas as dificuldades e percalços desse caminho.”

 O Coletivo Mulheres de Pedra recebeu apoio do Edital 2015 do Instituto Rio. O Edital 2016 tem o objetivo de reforçar as iniciativas da Universidade Comunitária e é aberto a outras instituições, que ainda não façam parte da Rede do Instituto Rio. Saiba mais sobre o Edital e inscreva-se aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário