segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Grupo Arco-íris de conscientização homossexual - GAI - organização apoiada pelo Instituto Rio em 2017

O GAI está em seu primeiro apoio no edital do Instituto Rio com o projeto TRANSformações: empoderamento de Jovens LGBT, com enfoque em Travestis e Transexuais.
O projeto visa realizar um curso de Formação de Lideranças em Promoção da qualidade de vida, saúde, prevenção ao HIV/AIDS e Hepatites virais, novas tecnologias de prevenção (PEP e PREP), cidadania, redução de danos e oficinas de formação dos multiplicadores. Serão, ao todo, 8 oficinas vivenciais com as temáticas: ( oficina 1) Corpo, prazer e práticas sexuais de risco; (oficina 2) Redução de danos; (oficina 3) Homossexualidade, Família, Escola e o HIV/Aids;(oficina 4) Violência, pauperização e LGBTfobia (diferença e desigualdade), ( oficina 5) Identidades sexuais, gestão participativa e controle social,(oficina 6) Territorialidade, Raça/ Etnia, juventude e LGBTfobia (oficina 7) As novas tecnologias - PEP -(Profilaxia Pós Exposição), PREP (Profilaxia Pré Exposição); (oficina 8) Juventude, controle social e direitos. 
O público alvo do projeto são jovens LGBT de 16 a 29 anos e que necessariamente residam na região da Zona Oeste mais precisamente nas comunidades de Campo Grande, travestis e transexuais  terão prioridade nas vagas.
O projeto baseia-se em dados do boletim epidemiológico do Departamento de DST/AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, em público formado por jovens de 17 a 21 anos, onde constata-se uma grande prevalência do HIV entre HSH, Travestis e Transexuais. 
Além disso, dados da ONU apresentam um número exorbitante de jovens mortos por conta da violência. 



Mais informações em: https://www.facebook.com/grupoarcoiris.perfilii/

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Instituto de Políticas Alternativas para o Cone Sul - PACS - Organização apoiada pelo Instituto Rio em 2017

O PACS foi selecionado para o edital 2017 com o projeto Mulheres produzindo agroecologia na Zona Oeste do Rio de Janeiro: desafios à autonomia econômica e alternativas locais. 
O projeto tem como objetivo principal a construção de um diagnóstico coletivo sobre a situação socioeconômica das mulheres que praticam agricultura urbana na Zona Oeste do Rio de Janeiro, através da realização de caravanas, mutirões, encontros e atividades públicas. Seu objetivo específico é o de contribuir para o fortalecimento das práticas democráticas e coletivas de articulação, identificando as principais dificuldades e potenciais alternativas.
O projeto prevê a realização de reuniões para apresentação da proposta aos grupos/organizações que fazem parte da Rede Carioca de Agricultura Urbana (REDECAU) para o estabelecimento de linhas comuns, principalmente no que diz respeito à construção do Caderno Político Pedagógico.  Esse caderno será instrumento de orientação do olhar das mulheres na Caravana, isto é, um material construído a partir de definições coletivas que delimite elementos orientadores para realização do diagnóstico.  O caderno trará questões que serão debatidas durante a caravana, como, por exemplo: Qual a prática cotidiana das mulheres no âmbito da agricultura? Elas possuem outras fontes de renda?, dentre outras.